CISAB - Consórcio Intermunicipal de Saneamento Básico da Zona da Mata de Minas Gerais
(31) 3891-5636

Conselho de Regulação do CISAB aprovou as medidas de racionamento em Viçosa

15/09/2017

Foram apresentadas ao conselho de regulação do CISAB Zona da Mata, na útima terça-feira, 12 de setembro, as medidas de racionamento de água para o município de Viçosa, tendo em vista a grave crise hídrica que assola a região.

A solicitação do parecer do órgão de regulação foi protocolada pelo SAAE no dia 04 de setembro. O Grupo Técnico de Reagulação emitiu os relatórios e o conselho de regulação foi convocado em caráter de emergência para a reunião extraordinária.

Estiveram presentes os conselheiros representantes dos municípios de Fervedouro, Raul Soares, Manhuaçu, além de representantes da diretoria técnica e administrativa do CISAB e do SAAE Viçosa.

O relatório do Grupo Técnico foi aprovado por unanimidade pelo Conselho, liberando, assim, a assinatura de decreto no município.

 

A Prefeitura Municipal de Viçosa e o SAAE, assinou no mesmo dia o Decreto Municipal 5.109/2017, que “declara em situação anormal, caracterizada como emergência, a área do município de Viçosa afetada por estiagem”, determinando, assim, a partir de sábado, 16, a adoção do sistema de racionamento de água em todos os bairros e distritos da cidade. O intervalo de tempo entre a assinatura do decreto e início do racionamento se deve à necessidade de ampla divulgação do fato à população.


O anúncio foi feito na tarde quarta-feira, 13, em uma coletiva de imprensa, onde foi apresentada a escala de racionamento que os consumidores passarão a obedecer. Na reunião foram apresentados também os dados relativos à precipitação, captação, tratamento, armazenamento, distribuição e consumo de água na cidade, bem como medidas tomadas pela SAAE diante da escassez de chuva.


Viçosa está há cerca de cinco meses sem chuvas efetivas, com isso, desde o final do mês de agosto e início de setembro, moradores de alguns bairros mais altos da cidade ficaram sem abastecimento regular de água, que afetou também a área central da cidade.


A justificativa para a edição do Decreto se baseou no baixo índice de precipitação hídrica em Viçosa de janeiro a agosto, que acumulou 348 milímetros no período, bem abaixo da média histórica dos últimos 48 anos que foi de 1.240 mm/ano. Somente de janeiro a agosto de 2016, de acordo com dados da PMV, o índice de precipitação chegou a 681 mm provocando, naquele período, a redução de oferta de água pelo SAAE.


Também como justificativa foi citado o crescimento impetuoso da cidade nos últimos anos, bem como o aumento da oferta de vagas em universidades e faculdades de Viçosa, aliado à carência de investimentos de administrações passadas, nos sistemas de captação, armazenamento e distribuição de água na cidade.


Ao falar sobre a situação, o prefeito Ângelo Chequer destacou a sua preocupação e a do SAAE quanto ao problema. Ele destacou as obras de ampliação na Estação de Tratamento de Água (ETA) Violeira. Com a estação em funcionamento, atualmente, o abastecimento é de aproximadamente 132 litros por segundo e a expectativa é que com as adequações concluídas até novembro deste ano passe aumente esta capacidade para 160 litros por segundo.


Já o diretor-presidente da autarquia, Rodrigo Bicalho, disse que além das melhorias já realizadas nos sistemas de distribuição e abastecimento de água, como a ampliação e reforma da ETA II, em fase final, encontra-se em fase de criação o projeto técnico executivo para construção da ETA III (Mainarte) (projeto que poderá ser executado no futuro e custará alguns milhões de reais) e a ampliação do sistema existente. No entanto, ressaltou que enquanto os projetos e estudos não são concluídos, a medida de racionamento continuará a ser tomada sempre que os reservatórios estiverem com baixo nível de água.


Rodrigo Bicalho foi enfático ao dizer que “se não tivessem sido realizadas as obras de ampliação e reforma da estação de tratamento de água da Violeira (ETA II), iniciadas em julho de 2016, e outras medidas iniciadas em 2015, o abastecimento municipal estaria seriamente comprometido”, se referindo à estratégia da autarquia de diminuição da dependência municipal do manancial do Ribeirão São Bartolomeu, que está com volume 70% abaixo do normal. Atualmente a ETA II – Violeira é a responsável pelo abastecimento de mais de 70% da população, com uma produção de 142 litros por segundo.

O Racionamento
O racionamento será de 48 horas de interrupção por semana, divididas em dois dias não consecutivos. As interrupções ocorrerão a cada 24 horas, por região, em dias alternados. Desde novembro de 2016 o município não enfrentava o racionamento que já foi decretado em outubro de 2014 e janeiro de 2015, pelos mesmos motivos.

Locais e horários de racionamento

 

Segundas e quintas-feiras
Condomínio Vale das Acácias, Inconfidência, João Brás, Liberdade I e II, Recanto da Serra, Santo Antônio, Serra Verde, Violeira, Belvedere, Parte alta do bairro Sagrado Coração de Jesus, Vereda do Bosque, Parte alta do Lourdes e Bairro de Fátima, Santa Clara sentido Bairro de Fátima, Nova Viçosa e Posses.

Terças e sextas-feiras
Centro, Clélia Bernardes, bairro de Ramos, Conceição e Fuad Chequer. Também na parte baixa dos bairros Betânia, Lourdes, Bairro de Fátima, Bom Jesus, Estrelas e Sagrado Coração de Jesus.


Quartas-feiras e sábados
Arduíno Bolivar (Amoras), Boa Vista, Portugueses, Sagrada Família, Morada do Sol I e II, Monte Rei, Jardim Europa, Colônia Vaz de Melo, Nova Era, Maria Eugênia, Inácio Martins, Julia Molla, Bairro JK, Parque do Ipê, Bela Vista, Distrito Industrial, Cidade Nova, Barrinha, Bairro João Mariano, Vale do Sol, União, São José (Laranjal), Silvestre, Vaú Açu, São Sebastião, Prefeito Moacir Dias de Andrade (Floresta), Recanto das Veredas e Residencial Silvestre. Na parte alta dos bairros Bom Jesus, Betânia e Estrelas. Parte do Bairro Santa Clara no sentido bairro São Sebastião.

Fonte complementar: Jornal Folha da Mata